A verdadeira história do Pai Natal



O São Nicolau histórico nasceu no século III na cidade grega de Myra, hoje Demre [Turquia], na qual foi investido bispo.
A tradição conta que adorava as crianças, que entregava prendas e ouro aos pobres e fazia milagres. Quando morreu, foi canonizado e venerado em todo o mundo cristão. No século XI, os seus restos mortais foram transladados por marinheiros italianos para a cidade de Bari, onde repousam na Basílica de São Nicolau. Como em alemão se chama Sankt Nikolaus, começaram a chamar-lhe Santa Claus. Este santo foi tão popular na antiguidade, que lhe foram consagrados no mundo mais de 2000 templos.
Na Alemanha, Suíça e Holanda, a sua vida originou o costume de que São Nicolau traga prendas e doces às crianças a 6 de Dezembro, dia em que a Igreja celebra a sua festa. Esse costume foi popularizado nos Estados Unidos pelos protestantes holandeses da actual Nova Iorque, que paganizaram o santo católico convertendo-o num mago nórdico chamando-lhe Santa Claus. Da mitra bispal não deixaram nada, mudaram-no da Turquia para o Pólo Norte, acrescentaram neve e um trenó puxado por renas e a Coca-Cola fez o resto: vestiu-o de vermelho e branco, pôs-lhe um gorro e converteu-o num adorável velhote rechonchudo.

Tradução parcial livre do artigo do El País "Turquía reclama a Italia la devolución de los restos de Santa Claus". Imagem retirada do mesmo sítio.

Sem comentários:

Enviar um comentário