Contrabando


Por falar em iberistas, descobri que sendo estudante no superior me dão uns jornais assim à pala: ora é o Diário Económico, volta e meia o Expresso e às vezes até calha o Público. Pois bem que vou tirar um exemplar para a minha pessoa lá da pilha mas em vez de me vir uma publicação conceituada, aparece-me um tal de Contrabando, assim com uns ares a atirar a Dica da Semana, mas ainda mais salganhada que o jornal congénere do Lidl, visto que em vez de vir escrito em português, que é a língua em que as pessoas lêem (pelo menos em Portugal, não faço afirmações tão convincentes em relação a PALOPs e muito menos em relação ao Brasil), vem em espanhol. Quer dizer, vem nas duas línguas, só não é "portuñol" porque as misturas ficam-se ao nível das frases e não passam às sílabas nem à pronúncia. Mas adiante, acabei de dar cabo de 5 minutos da minha vida a escrever isto, quando o que eu queria mesmo dizer é que me chateia que se coloque assim à disposição das pessoas publicações de carácter iberista, doutrina a qual o querido Saramago também defende, e que basicamente consiste em transformar a nossa República Portuguesa numa província do Reino de Espanha, onde o pessoal tem que falar espanhol, torcer pelo Real Madrid e gostar da casa real espanhola e respectivos príncipes e princesas. Títulos como "Portugal/Espanha - Estudo revela receptividade à federação de Estados" deixam-me chateados, concerteza.

Sem comentários:

Enviar um comentário