Uma questão de mérito


Hoje no Correio da Manhã vem uma notícia com o seguinte título, "Alunos vendiam droga na escola", e como ante-título tinha "GNR prende dois alunos de mérito em escola secundária". O que isto dá a entender ao leitor é que os coitadinhos dos meninos só traficariam por motivos de maior, afinal são alunos de mérito, que falta de sensibilidade dos militares que os engaiolaram! Coitadinhos a porra, mas adiante, também deixa transparecer que isto das drogas é coisa rara nas escola, sim, concordo, só duvido é que exista estabelecimento de ensino secundário neste país que não tenha pelo menos um traficante, na melhor das sortes, isto sem contar profissionais, básicas e superior, que são ligas à parte, mas também devem ter muito trabalhador-estudante a trabalhar nesta área, ainda que nem sempre requeiram o tal estatuto.
Já agora, para deixar tudo em pratos limpos, no início da notícia citada, vem escrito, "Eram ambos alunos de mérito em cursos técnicos da Escola Secundária de Santa Maria", ah, está tudo explicado, quem não é aluno de mérito num curso deste género? Ninguém bolas! São dos tais que são pagos para ir à escola (e os valores pagos não são tão simbólicos quanto isso). Só para acentuar a meritosidade destes dois alunos - ou presidiários, não sei, visto que hoje em dia está muito na moda o termo de identidade e residência - são "dois jovens de 18 e 19 anos", isto significa que já chumbaram uma vez ou duas. Rico mérito! Mas pronto, tirei-lhes o mérito, mas dou-lhes o trabalhdores, afinal de contas, a guarda apreendeu-lhes 30000 euros, tiveram que dar ao litro! Para concluir, quando for grande quero ser traficante, se não me conseguir tornar num, quero ser jornalista, para escrever preciosidades destas.

Sem comentários:

Enviar um comentário