Mudar? Só se for para pior...

Supostamente qualquer país que se prese devia progredir, tanto socialmente como economicamente. No entanto, em Portugal, os Municípios muitas vezes impedem a progressão das suas freguesias. Eu que o diga, residente no concelho de Beja, mais precisamente em Albernoa, vejo que é impossível algo avançar por estes lados, quando os "chamados" vereadores negam a construção de um farmácia, porque não passa de uma aldeia, logo e pela lógica não temos direito a comprar medicamentos, pois estaríamos a desobedecer ao património rural, bomba de gasolina essa também já foi negada, pelos vistos pelos "meios rurais" (com cerca de 1000 habitantes) não se deve usar carros, ou então não "bebem" gasolina, devem pensar que andamos de carroça. Os senhores que aprovem a construção de um terminal de burros então. Rede de telemóvel aqui também é mentira, pode estragar a paisagem rural, as antenas. Caixa multibanco aqui também não, parece que pensam que ainda usamos o sistema de troca, e que não sabemos o que é um cartão de débito ou de crédito. Com isto tudo viva a pasmaceira, não por culpa nossa, mas dos senhores engenheiros, que acham que uma farmácia não é para bem da povoação. Por isso tenho pena de a minha freguesia não pertencer ao outro concelho mais próximo, aí as coisas são um pouco diferentes, assim, terei que "gramar" este presidente de Câmara mais uns meses.

(PS- Internet tivemos que fazer um abaixo-assinado, senão não estaria aqui a parvejar)
(PS2- Senhor Sócrates, aqui também é difícil usar painéis solares, estragam o "layout" do nosso meio rural)

3 comentários:

  1. Pois, a Câmara de Beja não permite que nada se desenvolva, aliás, preferem gastar , milhares e milhares de euros a fazer remendos nas estradas a arranjá-las de vez, só como exemplo. Aqueles senhores fiscais implicam por tudo e por nada, e é quase impossivel fazer algo que não existisse já, assim nada se desnvolve, até é mais fácil recuar, e se bem me lembro, Albernoa chegou a ter farmácia, cooperativa, um ou dois lagares, e umas quantas coisas que hoje serão impensáveis para muitos dos habitantes. "Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades".

    A. Caetano

    ResponderEliminar
  2. Pois é, ca tb temos esse problema, e é uma vila... Mas tb, Albernoa nao conta, qq dia tiram-na é do mapa!
    Ana Mendes

    ResponderEliminar
  3. Pois é, enquanto os destinos da freguesia continuarem nas mãos dos mesmos, vomos continuar a regredir,e tambem porque quem aqui vive não toma o destino nas próprias mãos, como tal se calhar temos o que merecemos.

    ResponderEliminar