Há ladrões e ladrões


O Madoff lá se safou, só apanhou 150 anos, rapaz, porta-te bem, que eles depois deixam-te sair quando cumprires metade da pena, ou seja, daqui a 75 anos, em liberdade condicional. Depois é ver o Madoff outra vez ,todo feliz e contente, a roubar os desgraçados dos mortais que confiam as poucas poupanças que têm nas máfias dos bancos e seguros, como se não houvesse amanhã. Porém, estou a falar mal do senhor, mas sei lá eu se não sai como um homem novo da prisão, se assim for, dêem-lhe por favor a chave do BPN que ele torna-o num banco como deve ser em menos de três tempos: mostrou com os esquemas das pirâmides que percebe de economia, é o maior gatuno que já se viu nas redondezas, e é estrangeiro, e toda a gente sabe que um estrangeiro em Portugal vale por dois.
Mas adiante, é grande paradoxo este, o homem já com 75 anos é condenado a uma pena do dobro da sua idade por ter a mão leve, cá, qualquer pedófilo com um bocadinho de nome deve andar por esta altura de cu para o ar numa qualquer praia algarvia a apanhar conquilha! Um assassinato comum cá em Portugal passa quanto tempo lá dentro, quê, 12 anos? A média deve ser mais ou menos essa. Como raio é que a justiça pode ser tão dispare de um lado para o outro do mundo, tanto quanto sei, tanto o nosso país como os EUA são democracias, ambos têm economias capitalistas, ambos pertencem à cultura ocidental, então como é possível lá a pena máxima ser a capital e cá haver uma parvoíce chamada cúmulo jurídico? Será que o meio-termo está assim tão fora de moda?

Sem comentários:

Enviar um comentário